Menu

Inibidores de apetite: conheça os perigos desses remédios

9 de maio de 2018 - Saúde
Inibidores de apetite: conheça os perigos desses remédios

Em busca de um corpo bonito e bem torneado, sem os indesejáveis quilinhos a mais, muitas pessoas se submetem a dietas extremas, que cortam a ingestão de alimentos a níveis muito baixos.

Já outras, cansadas de tantas tentativas sem sucesso, acabam apelando para o uso de medicamentos que ajudam a diminuir a fome e, assim, eliminam os quilos extras sem tanto esforço. São os chamados inibidores de apetite.

Vendidos em farmácias ou pela internet, esses produtos agem no sistema nervoso central, enganando o cérebro ao enviar mensagens informando que o corpo está saciado. Ou seja, não é preciso comer mais.

Embora tornem a perda de peso muito mais fácil em comparação ao combo dieta e exercícios, o que muitas pessoas desconhecem são os riscos associados ao uso desses medicamentos, principalmente sem o acompanhamento médico, o que normalmente acontece.

Se você está pensando em fazer uso desses produtos, mas conhece pouco sobre seus perigos, preparamos um texto onde apontamos os principais perigos dos inibidores de apetite.

Dependência

Por agir em áreas do cérebro responsáveis por controlar a saciedade e a vontade do organismo ingerir alimentos, esses alimentos podem causar dependência em quem os utiliza. Ou seja, a pessoa não consegue mais ficar sem o produto.

Essa dependência é tão grave que pode produzir sintomas físicos, levando o paciente a se sentir mal caso não tome o produto nas quantidades ingeridas anteriormente. Esse quadro pode se agravar quando o medicamento é utilizado por longos períodos.

Efeito sanfona

Muitos pacientes, quando começam a utilizar os inibidores de apetite, simplesmente abandonam a dieta, já que o medicamento, sozinho, promove a perda de peso. Porém, quando o uso do medicamento é interrompido, todos os quilos eliminados são recuperados em pouco tempo, causando assim o popular efeito sanfona.

Alterações de humor

O uso de medicamentos para controlar o apetite, principalmente por longos períodos, pode afetar as emoções do paciente. Em alguns casos surgem episódios de nervosismo ou quadros de irritação sem qualquer motivo mais frequentes. Em pessoas mais suscetíveis, principalmente as que já possuam histórico de problema psiquiátrico, pode surgir ainda a depressão.

Insônia

Por modificar a química cerebral, o uso de inibidores de apetite pode alterar a qualidade do sono em algumas pessoas. Um dos riscos apresentados por esse produto é, justamente, o desenvolvimento de um quadro de insônia em quem não tinha problemas para dormir.

Sintomas físicos

O uso de inibidores de apetite, mesmo por um curto período de tempo, pode apresentar sintomas físicos que causam muito desconforto em quem os apresenta. Esses medicamentos podem, por exemplo, ocasionar boca seca, prisão de ventre, tontura, enjoo ou, ainda taquicardia.

Desordens gastrointestinais

Outro risco a que as pessoas que utilizam os inibidores de apetite estão sujeitas é ao surgimento de um quadro de diabetes. Esse risco ganha ainda mais proporções quando o medicamento utilizado reduz a absorção de gordura dos alimentos.

Nesse caso, tudo o que não consegue ser absorvido pelo organismo é eliminado, seja através da urina como também das fezes, contribuindo para que ocorram episódios de diarreia.

Bom pessoal, esperamos que as dicas tenham sido úteis e que consigam com sucesso emagrecer sem ter de abusar desses medicamentos

Sugestões e dicas podem deixar nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *